Notícias

Mais Notícias

Inflação dos mais pobres e dos mais ricos registra alta em maio

No acumulado dos últimos 12 meses, porém, o Indicador Ipea de Inflação por Faixa de Renda aponta recuo na variação do IPCA para famílias de renda mais baixa

O Indicador Ipea de Inflação por Faixa de Renda referente a maio, divulgado no dia 11 de junho, mostra um aumento da pressão inflacionária tanto nas classes mais pobres da população, quanto nas mais ricas. A inflação das famílias de menor renda registrou alta de 0,41% no mês, enquanto a variação dos preços de bens e serviços consumidos pelos mais ricos ficou em 0,38%.

O Grupo de Conjuntura do Ipea aponta a piora no comportamento dos preços de alimentos – especialmente tubérculos, legumes, verduras e derivados de trigo – e da energia elétrica como fatores que explicam o aumento da inflação dos mais pobres em maio. Boa parte do orçamento das famílias de menor renda é destinado a esses dois grupos de despesa. Por sua vez, a inflação entre as famílias de renda alta foi pressionada, sobretudo, pela aceleração dos preços dos combustíveis.

No acumulado de 12 meses, a inflação das famílias mais pobres recuou novamente, passando de 1,73% para 1,67%. Nesse mesmo período, a inflação da parcela de renda alta da população foi 2,2 vezes superior à observada entre os grupos de renda mais baixa.

Confira a íntegra do indicador e da seção de Inflação no blog da Carta de Conjuntura